Nas camadas vulcânicas da palavra

Posfácio | Uma casa perto de um vulcão

(Teofilo Tostes Daniel)

Ensaio Aberto – Teofilo Tostes Daniel

Há muitas coisas que cabem nos laços de irmandade. Irmãos geralmente partilham as primeiras memórias que os conformam como seres no mundo. Dividem histórias colhidas nos caminhos e veredas por que passaram. Repartem brincadeiras, segredos e amigos. Compartem ainda gostos, descobertas e alumbramentos.

Entre mim e minha irmã, há ainda uma partilha fundante de nossa experiência no mundo: o rito da escrita. Descobrimos juntos, embora por caminhos paralelos, esse sacro ofício de cultuar palavras. Éramos crianças, quando ela inventou sua primeira cerimônia de sagração da linguagem, num caderno dedicado à escrita de histórias – geralmente um pouco trágicas. Uma poeta que teve sua infância na prosa, redescobriu-se “um animal, no ermo / da linguagem” com a prosa poética e, por fim, assenhorou-se dos versos. Apropriei-me também desse rito brincante e, com onze ou doze anos, inventei-me poeta – somente muitos anos depois é que fui invocar as energias e os…

Ver o post original 1.226 mais palavras

Anúncios

Trabuconocudonosor

Uma ponte para o passado
um porte de armas para o futuro
o presente um salto no espaço

da distopia –
em viscoelástico
um ministro em travesseiro
esplêndido.

Um deus envasado
engarrafado pronto
para consumo

das familias de bem
acólitos anônimos.

Mercadores do templo
filhos do enxofre
o enxofre que serve
para limpar, para pintar

os danos causados, os pais
da chuva ácida.

Falsas notificações de crime
snipers na black friday murder

engole esse câncer, terrorista
o mundo é um lugar lindo

cativo dessa barra
que é gostar de fake news

na Barra da Tijuca.