Roupa íntima

Só almejo ficar quieta e
espero o sangue vingar
o sangue da vítima o
sangue da mulher que
aborta o sangue do
pássaro absorto o
sangue do trigésimo dia
não há tempo de entender
a ira invertida é pano
pra manga: posso suar
posso me enforcar
virar pano de bunda
ou camisa de força
e vênus, não, me dê tempo
me dê a mulher que sou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s