A delicadeza improvável do carrasco
o hábito reprimido do voluntarioso
o anel do fascista
a mão nua de Francisco de Assis.

Por obra e graça da verdade desgovernada
Deus ou Samuel Beckett não compareceram
à jornada mundial das pequenas virtudes
convocaram Godot no seu lugar.

Sabe-se, Godot também se absteve
de, como se diz, prestigiar o ínfimo evento –
todo dia um homem passa vergonha
no que ele concordou, sem ponderar contradições.

Perto das faunas típicas do inconsciente, num casebre
Thoreau e Assis elogiavam Bachelard
por sonhar coisas fantásticas, como Chagall –
‘um é de pedra, o outro, floresta’

disseram os dois últimos, também interlocutores.
‘Sonhando um sonho andante, realizam-se na carne’
já não se sabe quem proferiu. ‘Não como alguém que
tenha seu lado sombrio desvelado

ou se descobre, de repente, iluminado
mas por pisar firme as listras sinuosas do sol.’

Publicado por

Roberta Tostes Daniel

Roberta Tostes Daniel, carioca. Tem poemas publicados nas revistas eletrônicas Mallarmargens, Zunái, Musa Rara, Diversos Afins, Estrago, Incomunidade, além de blogs e no site do Centro Cultural São Paulo. Incluída nas antologias: “Desvio para o Vermelho” (CCSP), “Amar, verbo atemporal” (Ed. Rocco) e “história íntima da leitura” (Ed. Vagamundo). Email: robertatostes@gmail.com “Sou alguém que espera ser aberto por uma palavra” (António Ramos Rosa)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s