intimidade amparar
o que foge

corpo poema
reflexo estendido
até à exaustão

poema é

ressonância
rachadura
carne podre

deito no dialeto
embebida de séculos
e séculos

o gene de minha vó
é um cuidado a mais
da falta de sentido

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s