poesia

Olhar com a tontura atenta
da vingança
dos bichos enjaulados
e com ferocidade de água
para a falta de contorno dos corpos
estranhamente materiais
para o açodamento do desejo
e a nua manifestação do sem nome
para um corpo de água feito das cheias
e das pescas nas florestas desertificadas
todos os mutilados enfrentam meu despejo
de te reunir neste mesmo e uno sexo.

Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s