eu dizia que as pequenas coisas conferem uma circunspeção gradual
a que tomamos gosto quando as horas passam e já não envelhecemos
expunha numa espécie de transe meus olhos secos de chorar, o borrão vermelho no rosto
aos vinte eu nasci gritando
aos trinta amo o jeito como gozamos e ainda que me rasgue a pele
eu já odeio, aprendo a odiar, já não me assusto tanto
os projetos são intermináveis como a vida
os amores são mercúrio-cromo
e a febre é a arma contra casuísmos de qualquer jaez
só me viciei em café, e nas tais pequenas coisas que excedem a lembrança
ainda me falta o patamar da paciência
e todo poema é escrito com a velocidade da discórdia
certo afinco, nenhum perfeccionismo
e tudo tarda e chega tão depressa
e a vocação é um álibi impreciso para os solitários
e a música continuará tocando
the sound of silence e a modesta coreografia dos dez anos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s