poesia

gosto de imaginar os escritores que leio
tecendo suas páginas que agora me enlaçam
mãos abocanhadas de ideias
traídas pelo espelho inviável da representação

para forjar o novo
o retrato virá
mesmo sem mímesis
a um segundo dali

todos queremos ter
um eco onde não vemos
nossa imagem desumanizada

eu me vejo nas páginas do que não cunhei
e sou mais fiel que as palavras refletidas

Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s