as paredes estão nuas de mim
as bicicletas me querem
uma jangada rasga minha pele

quero partir
para lá dos acontecimentos
sem geometria
ou mesmo, música

meus aparelhos eletrônicos
deram defeito

respiro próxima a fuga
de arcozelo

sou um declive
meus joelhos sofrem
intervenção federal
não há lugar seguro

sob um punhal de dias
coleciono contraturas
lapsos, frações

embora as paredes nuas
a fuga
a degola
fios desencapados

de mim, o franco assombro
um espaço rasgado para o barco
um seixo, o enjoo

pilhas de paredes nuas
anotações em timbre menor
cegado tempo de abrir clarão

eu sou uma ausência

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s