guardar que se alastre a relva
que os aviões vaticinem
um punhado de catástrofes domésticas
voltar e ver na esteira
o tráfego da memória
tornar-se maior que pertencido
ao ritmo da inundação
da indústria da sede
do antídoto se guarda
o antigo destroçar da garganta
descurar-se da metrópole
do quórum do novo
ser a invadida sebe
o desgastar dos passos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s