2015

Seremos ricocheteados
outra vez
pela esperança.
Barbas de molho
e mais tempo para ler.
O dinheiro vai todo para a caridade
dos sebos essas casas
de abandono das mãos.
Entre otras cositas más
Uruguai, meu bem
planejamos partir
na madrugada mais agra:
a insônia é o fermento do amor.
Sinto a fome dos leões
ainda arranhando as costas
carne preenchida ancorada
de imprecisão.
2015 seja
uma saúva gorda
nos dê muita terra
e a terra seja firme
para que possamos dormir
horas mochileiras
hora funcionária pública
hora não aguento
e te abandono, meu mar.
Escrevo de vez
agora no deserto de São Paulo
com o sol raspando nos dentes
um sorriso carregado
bronzeando o inverno.
O futuro
é logo ali.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s