falar um sem número de vezes as mesmas coisas, antes que seja tarde, poder largá-las. no mundo. agora rondam os gritos que demos rumo às vidraças que não quebramos. um garoto me mostra o seu rosto e impede com toda a gravidade que eu esqueça o meu, do alto do meu, já posso descer de dizer as coisas que não marcham. estou aqui, mas ao alcance da neblina.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s