poesia

Nem anjos, nem homens

I.

O corpo é cadafalso do voo. Não há pássaro. Só léguas.

II.

Meus pés dentro da terra: mandrágora. A flor do meu signo. Estrela terrestre do sofrimento.

III.

Como se forjasse a asa, como se a arrancasse. E é por precisar de asas. E é por desdenhá-las.

Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s