poesia

Ofídico

Naja alguma,
o veneno na cintura.

Mas estava sobre a cama
o próprio Butantan.

Quando deita na mulher
o réptil movimento

inocula um nome –
antídotos degredam.

Encouraça
o seio atingido.

A boca espreme
o anjo que a auréola reserva.

O amor custa a morrer.
Serpenteia no umbigo.

Padrão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s