poesia

O sangue de um poeta

“You should know that the child’s guardian angel appeared”
(Le sang d’un poète – Jean Cocteau)

Um menino cobre com seu corpo
o corpo de um menino morto.
A pele negra sobre o agora
que é apenas sangue e gelo
para sempre resvala
transmutada em asa de pássaro –
anjo ao adeus da infância.
O tempo os ignora.
Mas nos olhos acesos do poeta
o ecrã profetiza:
em seu sangue, o meu sangue.

o sangue de um poeta

Padrão

2 comentários sobre “O sangue de um poeta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s