Pureza

Amo a casa à sombra da noite,
mais nua ausência;
hora de ouvir o que ninguém diz.

Não tenho imagem.
Tudo regressou
à calma geológica.

Descortino-me à janela,
onde sopra a brisa,
último vestígio de Deus.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s