Giroscópio

De um barco ébrio.
O poeta em sua linguagem, essa furiosa desaparição.
Ser e seu ente.
Eixo de todas as rotações excêntricas – os instantes obsedados de eternidade.
Revolutear de signos.
Com as paisagens desdobradas em pontos cardeais – a geometria de Cristo.
Rastro da luta que se vai apagando no brilho da estrela.
Ausente.
No ponto cego de um raio e seu duplo – excedido diâmetro.
Exaurindo a linguagem explosiva e martirizada.
Linhas ou cicatrizes.
Vértices de frases: contornam um incomunicável de imagens.
Por dobras, ecos, evocações.
Suplício de tântalo(s), espelhos de pedra.
O que se desabre é o horizonte.
Casa dos ampliados.
Reflexo que não se vê, do que não se repete.
Fértil na terra da memória.
Aparição torrencial — frágil.
Senão outro, senão o mesmo.
Falhado, instado a matar, a selar o pacto com quem o atraiçoa.
Consciência suicida, urdida de instinto.
Maresia inata.
Cientista rútilo.
Quintessência: matéria silenciada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s