Onde a vegetação se rasga

Onde a vegetação se rasga
Para o sol, o sangue
O rastro da fuga

Verde,
Vermelha
Selva – me suga

Como a mais pura seiva:
Mãos na palavra
Nua.

Anúncios

5 comentários em “Onde a vegetação se rasga

  1. Já comentei no Facebook, mas aqui ainda não: é brutalmente impressionante a tua capacidade de manusear a linguagem. O poema começa com uma imagem fabulosa, que continua em “verde / vermelha”, já que o rasgar sangra, faz um rastro de fuga. Perfeição de som, imagens, sentido… Sem mais, como disse a Katy!
    Mar

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s