[matizes, seminários]

Digo agora que mal tolero os seminários. Me acomode numa cadeira, suaviza dizer o que há pra viver. Mas é a reverberação da voz nos olhares. Tudo se tinge de “deu branco”. Matiz do atordoamento que me faz sincopada. Espécie de purificação, ou o seu avesso: nu de dizer que não sei planejar. Que assim não faz sentido. Um tipo estranho de rosa quer conhecê-lo, só que por dentro do silêncio: no perfume.

Um comentário em “[matizes, seminários]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s