Trajeto da agonia

Largas passadas de quase correr:
O instinto do medo abocanha o bicho de si.
No trajeto da agonia
Esconde a espessa camada de pânico,
Rasga os rincões da paz.
Suor serve de mar
A um rosto crivado de tonturas:
Nauseia-lhe o beijo que não deu.
Águias lhe palpitam
Fervidas no delito das artérias.
Os olhos não valem doçura tanta.
Afeito ao brumoso da vida,
O ar não lhe chega, não lhe basta.
Bafeja o deus da guerra, sem oferenda
Do sonho vaza para um real cortante.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s