Entre a lua e o sol

Digo-te graciosa e luminosa
Tua nudez lambe meus olhos de criança
E é o êxtase de caçadores felizes
De ter aumentado uma caça translúcida
Que se dilata numa jarra sem água
Como um grão à sombra de um seixo

Eu te vejo nua arabesco atado
Agulha lenta a cada volta do relógio
O sol se instala ao longo de um dia
Raios entrelaçados tranças do meu prazer

Paul Éluard – Últimos poemas de amor

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s